mesmo os sem-teto fazem voar

Voltando para a saída e passando sobre a ponte, presto atenção para as estátuas, e mesmo elas parecem ser “tolerantes”, casal de homens, um casal de mulheres, um casal de homens e mulheres, e os individuais. Me perco em minha mente olhando para além da ponte, na direção da luz do sol e refletindo sobre como as pessoas estão tão preocupados com o preconceito, mas existem coisas mais importantes, como guerras, desastres naturais, etc.

Tenho um compromisso com Erik às 16h30. Eu tomo um caminho diferente do que fiz com o Mats e ao longo costa da área rica “Frogner” e chego na Biblioteca Nacional. Entro e pergunto sobre o caso de fazer alguma exposição fotográfica, a bibliotecária me mostra um longo corredor onde que é usado para artistas emergentes. Perfeito!

Aproveito a conexão de Internet. Uma dica para os viajantes: Para aqueles que querem usar a internet, as bibliotecas públicas são uma ótima maneira de navegar gratuitamente.

Continuando pela única rua de vilas e casas ouço o som de um Maserati, e depois de um pequeno Corvette vermelho conversível, quase me bate!

Uma coisa a lembrar: nunca atravessar a rua como em Roma.

Meus amigos sempre estão preocupados quando eu resolvo tenho que atravessar a rua e já me puxaram dizendo que vou morrer  atropelado, enquanto eu atravesso rua!

No final da avenida está Aker, o bairro onde eles construíram o porto de Oslo e onde estão os ferries para os fiordes. Do outro lado do porto é o Palácio para o Prêmio Nobel da Paz, onde abaixo há um grupo de pessoas se manifestando. Eu estou um pouco decepcionado porque o prédio é muito triste e cinza, parece ao estilo do período do fascismo.Eu chego na estação meia hora atrasado, mas Erik me diz que ele também estava atrasado e que havia chegado a apenas10 minutos.

Erik, me explica que hoje haveria uma greve dos seguranças nos aeroportos a partir de 20:00. Os vôos domésticos foram cancelados a partir desse momento e pode haver alguma complicação. Eu não me importo porque as 20:05 meu avião estará no ar. No entanto Erik me aconselhou a sair mais cedo para não ter complicações ou pior perder o avião. Não seria a primeira vez!  Assim que chegamos em casa, pego minhas malas prontas e Erik me dá uma carona até a estação ferroviária onde ha um trem expresso que leva ao aeroporto principal.Felizmente não tive qualquer problema e ainda preciso fazer meu check-in automático, digitando o código do voo e após a impressão da fita de identificação da bagagem, de despachar minha mala.

Chego as 19:00 com calma e aguardo a chamada do vôo. Ao meu lado senta uma garota estranha, com uma t-shirt com buracos e um trole um pouco malcheiroso, uma mala surrada e uma gaiola com um gato, à primeira vista parece ser uma sem-teto, mas uma sem-teto que voa em aviao eu nunca vi ainda.

No outro lado, duas velhas, ao contrário, bem-vestidas, conversam entre elas.

Me viro para elas perguntando se o voo irá servir bebidas ou jantar, obviamente, elas não me entendem e pensaram que eu perguntava sobre a confirmação do vôo, então eu aceno ao atendente que chegou, mesmo sem chamar o voo, e ele me responde que durante o vôo irão oferecer apenas café ou chá, o resto, até mesmo refrigerantes são extras. Ele chama o vôo e eu olho um pouco ate que as filas diminuam, então eu permanecer sentado, mas de repente outro atendente fica na mesa a minha frente, então eu me levanto com um clique lhe entrego meu cartão de embarque e evito a fila quilométrica. Ótimo!

Antes de eu pego o International Herald Tribune e o Daegen Nyheter, o Swedish Newspaper, para controlar as notícias e exercitar o meu sueco antes de chegar na Suécia. Entre as várias notícias que eu descobri, foi que Hilary Clinton esteve ontem em Copenhague e que hoje viria a Oslo para discutir os problemas políticos na Síria.

O avião está pousando, Estocolmo ESTOU CHEGANDO!