Estocolmo

A frase mais importante de uma viagem na Suécia:

“Var toelettar de ar?”

CUSTO DE VIDA NA SUÉCIA

210 kr = 25 euros

Vejo Fredrick com dois cafés estilo Starbucks: “Velcommen Dearling i Sverige!”, diz ele com seu habitual sorriso de trinta e dois dentes. Fredrick? Sinceramente, nunca o vi bravo. Acho que ele é a pessoa mais positiva que eu já conheci. Sempre o vi sorrindo, e quando ele veio me visitar em dezembro, eu estava em um período difícil, mas o seu espírito me elevou e me fez sentir melhor. Adoro isso! Espero ansioso a hora de ficar com ele.

Durante a jornada, em seu “carro da máfia”, como ele diz, ele menciona o programa que preparou para mim e eu fico animado.

Estaremos em Estocolmo neste fim de semana; na segunda, partiremos para Norrland – no norte da Suécia. Vamos ter uma parada de um dia em Umeå, passar dois dias com os pais dele em Jörn, e então parar em Uppsala, no caminho de volta. Na noite de sexta partiremos para Helsinki.

Fredrick também gosta de viajar; é perfeito para mim. Geralmente seus amigos escolhem os destinos mais badalados, que é o que ele prefere, mas quando ele tem que visitar seus pais, seus amigos dão para trás e ele tem que ir sozinho. Então, neste caso, ele confessa que eu estou fazendo um favor!

Ele me diz que sua vida mudou radicalmente desde dezembro, a última vez em que nos vimos. Ele agora tem uma casa e um novo contrato de emprego. Ele era um advogado criminal; ele foi promovido a promotor. E ele também tem um carro novo, seu carro da máfia, um BMW 1998, verde escuro; ele está tão entusiasmado para explicar cada detalhe: luzes personalizadas, controles de ar condicionado independentes para o passageiro e o motorista, transmissão automática e GPS na língua inglesa. Na minha opinião, a coisa mais legal é a porta onde posso colocar o meu café quente.

E então ele me conta do motor e dos cavalos, mas é como se ele falasse grego comigo; Eu realmente não entendo a “linguagem dos carros”. Uma vez ele me perguntou quantos cavalos meu carro tinha; Eu lhe respondi: “Ei, não é uma carroça!”

Fredrick me conta que vai ser uma viagem longa, oito horas até chegar a Umeå e mais duas até chegar à vila dos seus pais.Chegamos a seu novo apartamento e ele me diz que não dormiu no dia anterior porque durante o dia ele trouxe suas coisas e durante a noite ele organizou tudo no apartamento. Ele está emocionado com o seu novo apartamento, e me dá um tour com entusiasmo: o banheiro, a despensa, o closet. Sinceramente, eu adoro isso. Quando eu tiver a minha própria casa, vou ter um closet! O quarto, a sala de jantar e a sala de estar formam juntos um único espaço. Finalmente ele me mostra a sacada. O apartamento, como o prédio inteiro, é bem novo e, de fato, Fredrick não é o único que se mudou ontem. O elevador ainda precisa ser consertado; o lobby e a área de resíduos estão cheios de caixas. A garagem ainda não está disponível; Fredrick está preocupado com a segurança do seu carro. O prédio cheira a tinta fresca com paredes sem manchas e luminárias pretas. O lado de fora é cinza.

Eu tomo um banho para me recuperar do cansaço da viagem. Para o jantar, nós temos hambúrguer sueco, com um molho que parece um cocktail. Eu acho que há algum tipo de ingrediente secreto nele. Logo depois do jantar eu desmaio no sofá. Acordo com o cheiro de café.