O pai da irmã “INGER”

 

Fricadelle Fricadelle

reconsiderar a tradução “Dama eo Vagabundo”

 

ingerQuando entrei na casa conheci Siv, a tia mais velha, uma mulher pequena, corcunda e  com cabelo louro acompanhada da sua famosa tia Anger e da sua esposa Kristine. Já tinha ouvido falar muito sobre Inger, Frederick fala-me muito acerca dela, na realidade bem mais do que o seu pai. Na realidade ele nunca menciona a minha tia, mas sim a irmã do meu pai. Eles têm uma excelente relação, talvez porque vivem os dois em Estocolmo e são os dois gays e existe mais conivência. Sendo honesto eu fico entusiasmado após ter ouvido falar tanto, de finalmente ter a honra de a ter em frente a mim.

Desde o primeiro momento, ele causa uma boa impressão, tem uma face que se assemelha à da atriz loira no filme “What Wemen want”, em que os óculos escondem os seus olhos azuis, o cabelo curto e um sorriso amoroso.

Kristina, a sua namorada originária da Suíça é amigável, cabelo curto, também um pouco masculina, mas não excessivamente, ela possui uma voz agradável ao contrário daquelas com uma pronuncia alemã. Ela funciona como interprete entre mim e a mãe do Frederick e tenta repetir o que a Kristina diz em sueco.

Eu sinto-me mesmo confortável a falar com ela, falamos acerca de viagens e cultura. Inger, brincando lillivagabondocomigo balbuciou em Italiano “Cocco Bello”, “Mamma Mia” gesticulando como os italianos… Na Itália não prestamos atenção, mas quando vamos a outros países apercebemono-nos de que temos a nossa própria e característica  ” Linguagem Corporal”. Ela solta de repentinamente “Fricadelle” palavra da qual eu estava completamente descontextualizado eu perguntei-lhe o que significava e onde tinha ouvido tal palavra e ela respondeu que tinha visto no filme ” A Dama e o vagabundo ” (Lady and The tramp) quando Tony, o empregado italiano traz o espaguete com almôndegas. UUUUUUMMMM acho que devia falar com os tradutores da Disney para reconsiderarem a tradução desta palavra, ou talvez Fricadelle possa ser almôndegas num dialecto especifico e eu não o saiba.

Elna, a mãe de Frederick, continua a preparar o bolo de canela como por magia, que eu adoro, especialmente se for feito em casa! (- Kanellbular- (bolo tipicamente sueco) que foi introduzido numa altura em que existia alguma escassez de ingredientes, em consequência da primeira guerra mundial) Quando o provo não consigo resistir ao prazer de expressar a minha satisfação com um intenso MHHHHHHH…!

ciambelle a zampaToda a família se vira para mim e exprime o seu descontentamento com a atitude, eu peço desculpa mas ponho as culpas a Elna porque os bolos de canela são tão deliciosos, a massa é macia e consegue-se sentir o aroma a canela, pergunto-me porque não e usado em Itália, è realmente uma pena. Todos se começam a rir de imediato e Inger com malícia rouba-me um pedaço e faz troça de mim.Ela é hilariante! Adoro-a. Elna dá-me a provar o pão de anis…este lugar faz-me lembrar a minha infância, um pouco como Jacques Prévert com Amdeleine no livro ” À procura do tempo perdido ” ( A La recherché du temp perdu”, porque no meu país temos algo parecido a Taralli (Comida Italiana) mas mais largo e anisado (especiaria com sabor a licor), è chamado ” Ciambelle a Zampa” que significa pata de donut.

No entanto é um pouco diferente, a Ciambelle Zampa é mais estaladiça do que o pão, assemelha-se a um brioche acabado de sair do forno. Elan confessou-me o seu ingrediente secreto; ela adiciona um xarope típico de Norrland (localidade no norte da Suécia).

Despedimo-nos das tias e voltamos ao Chalé para a habitual limpeza de primavera, e Inger e Kristina DSC00092voltam ao chalé convidando-nos para uma bebida depois do jantar. Após uma hora o pai de Rolf´s, Fredrick chama-nos para jantar e enquanto Elna e Rolf estão hipnotizados em frente à tv a assistir ao SUÈCIA-SÉRVIA. Enquanto isso eu aproveito para provar o famoso molho – Elk o Alce.

Distraídamente dou por mim a assistir ao jogo de futebol que, sinceramente, não me importa muito mas fiquei surpreendido de ver que Ibrahimovich, o número 10 da equipa de futebol Milaneza é na realidade Sueco, eu julgava que era croata ou checo.Finalizado o jogo dirigimo-nos para casa de Inger e Kristina para uma bebida e um agradável serão.

Translated by Fabio Cândido de Araújo